18 de agosto de 2014

Resenha - Banda: Kid Joe - Álbum: Nossas Armas (2013)

Resenha por: Renato Sanson


Rock pesado, sujo, com boas melodias e cantado em português é isso que os catarinenses do Kid Joe apresentam em seu EP de estreia, que chega de forma independente sob o nome de “Nossas Armas”.

A sonoridade resgata o que tivemos de melhor no Rock Nacional oitentista, mesclando com alguns elementos do Hard Rock e Heavy Metal.

Destaco de cara as letras, que soam inteligentes e instigantes, combinando perfeitamente com o som do grupo, que mostra melodias bem sacadas e grudentas.

A produção da bolacha que ficou a cargo da própria banda em parceria com Caio de Cápua, Alexandre Green e Willian Farias, poderia ser melhor, ficando um pouco abafada, mas que no geral não compromete o resultado final.

O instrumental soa com boa técnica e alternância, assim como as linhas vocais que esbanjam vitalidade, dando a tona do som empolgante que o Kid Joe apresenta.

São apenas seis faixas, mas que ficarão em sua cabeça por semanas, e mesmo tendo um acerto apelo comercial, o som pesado predomina e agradará em cheio os fãs do bom e velho Rock Nacional.

Se você já está cansado dessas bandas de Rock da atualidade, pois soam sem vida e personalidade, ouça “Nossas Armas” e terá suas esperanças renovadas sobre o Rock brasileiro.

Conheça mais a banda:

Tracklist:
01 Nossa Arma
02 Controle
03 Olhos Fechados
04 Despertar
05 Política
06 Perdão

Formação:
Daniel Ribeiro (Vocal/Guitarra)
Thiago Freitas (Baixo)
Cassio Nogueira (Guitarra)

Leonardo Godinho (Bateria)

17 de agosto de 2014

Resenha - Banda: Fire Hunter - Álbum: Arising from Fire (2012)

Resenha por: Renato Sanson


Após algumas instabilidades em sua formação, eis que o Fire Hunter consegue lançar seu primeiro debut, que chega ao mercado nacional via Hellion Distro.

O que temos em “Arising from Fire” é o típico Power Metal Melódico, bem consistente, mas nada de novidades.

É fato que o estilo passou por anos de saturação o que de certa forma tira um pouco o brilho do quinteto pontagrossense, pois mesmo tento ótimas guitarras (principalmente nos solos dobrados), uma cozinha consistente e um vocal marcante (poderia exagerar menos nos agudos), o som é mais do mesmo, e bebe na fonte do Power Metal alemão.

Mesmo assim é um trabalho agradável que se pode ouvir na integra facilmente e que agradará em cheio aos fãs do estilo.

Destaco as boas “Like a Judas” (ótimo refrão e riffs grudentos), “Agonize” (pesada e obscura) e “Soul of Sorrow” (com belas linhas vocais).

Um ponto que pode ser melhorado é qualidade de gravação que soa abafada e com alguns instrumentos mais altos que os outros, mas no mais o saldo é positivo, e certamente terão um bom futuro pela frente.


Conheça mais a banda:



Tracklist:
01 Waiting for the Fire Burns
02 Like a Judas
03 Agonize
04 Fire Hunter
05 Dying Not Knowing
06 Eternal Night
07 Soul of Sorrow
08 Freedom for Living
09 Ceremony

Formação:
Ronaldo Costa (Vocal)
Eduardo Moraes (Guitarra)
Adriano Burey (Guitarra)
Cleberson Neumann (Bateria)

Luis Liesenfeld (Baixo)

13 de agosto de 2014

Resenha - Banda: Revolted - Álbum: Revolutionary Order (2014)

Resenha por: Renato Sanson


Um verdadeiro murro na cara! É isso que temos ao ouvir “Revolutionary Order” disco de estreia do Revolted.

A agressividade apresentada chega ser absurda, um som que podemos classificar como Modern Thrash Metal, mesmo tendo o Thrash como carta principal temos muita modernidade em seu som que soa limpo e pesado.

Os solos apresentados são de cair o queixo, que aliado aos riffs potentes, vocalizações insanas e variadas e uma cozinha extremamente técnica temos o Revolted, que consegue deixar tudo uniforme em uma sonoridade empolgante e viciante.

A produção do disco ficou a cargo de Junior Xavas e Xavier Collard, que souberam explorar muito bem o que o grupo tem de melhor, além de termos um som cristalino e altamente pesado. A parte gráfica muito bem esmerada e caprichada ficou a cargo do artista Thiago Andrade, que soube expor o que a banda quer passar.

Musicalmente não há o que se dizer um verdadeiro murro, que joga sua cabeça contra parede e faz você colocar no repeat sem moderação.

O destaque fica por conta do disco todo, onde seria um verdadeiro desperdício pular alguma faixa. Altamente recomendado!



Conheça mais a banda:


Assessoria: Metal Media

Tracklist:
01 Revolutionary Order
02 Heartbreaking
03 Behind the Sacred Verses
04 The Scars of Insanity
05 Follow the Shadows
06 Hope is Just an Illusion
07 Imperfect Memories
08 Epidemia
09 Your Fate is What Destroys You
10 We are Only Free

Formação:
Hedrey Glissiério (Vocal)
Alex Fernando (Guitarra)
Raphael Torlezzi (Baixo)
Yanomani Ami (Bateria)

12 de agosto de 2014

Resenha - Músico: Tuomas Holopainen - Álbum: Music Inspired by The Life and Times of Scrooge (2013)

Resenha por: Renato Sanson


Algo diferente e inusitado é isso que a mente por trás do Nightwish Tuomas Holopainen nos apresenta em seu primeiro registro solo, mostrando ser um compositor acima de qualquer questionamento.

Antes de tudo, "Music Inspired by The Life and Times of Scrooge" passa longe do gênero Heavy Metal, aqui o que temos é uma obra cinematográfica, inspirada em "The Life and Times of Scrooge McDuck", o querido Tio Patinhas.

E neste trabalho Tuomas conta com o apoio de seu criador Don Rosa, e conta através de dez faixas à saga de Patinhas até a riqueza. Temas ricos e cheios de complexidade, sendo mais precisamente uma trilha sonora que poderia estar nos cinemas.

A diversidade de instrumentos é gigantesca, já que Tuomas também contou com uma orquestra a sua disposição, onde criou um clima propício e intenso para se acompanhar com encarte em mãos.


A parte gráfica do trabalho é do mais alto nível artístico, como se estivéssemos com uma revista em quadrinhos nas mãos, méritos do genial Don Rosa que novamente fez mais um trabalho soberbo.

Completamente diferente e surpreendente é isso que temos em "Music Inspired by The Life and Times of Scrooge", certamente merece boas ouvidas, ainda mais se você tem a mente aberta e quer fugir para outro mundo.


Ressalto as participações especiais do vocalista Tony Kakko (Sonata Arctica) e da cantora finlandesa Johanna Kurkela, que engrandeceram o trabalho com suas interpretações.

No mais é adquirir está beleza, pois certamente terá espaço em sua coleção.


Conheça mais o músico:


Tracklist:
01 Glasgow 1877
02 Into the West
03 Duel & Cloudscapes
04 Dreamtime
05 Cold Heart of the Klondike
06 The Last Sled
07 Goodbye, Papa
08 To Be Rich
09 A Lifetime of Adventure
10 Go Slowly Now, Sands of Time
11 A Lifetime of Adventure (alternative version)

Músico:
Tuomas Holopainen (Teclado/Piano/Composições)



10 de agosto de 2014

Resenha - Banda: Scrok - Álbum: Welcome To Terror (2013)

Resenha por: Renato Sanson


O Scrok é daquelas bandas que querem trucidar seu pescoço e ao mesmo tempo quer que você vicie em seu som, e é isso que esses maranhenses conseguiram com o lançamento de seu primeiro disco “Welcome To Terror”.

Bebendo na fonte do Thrash alemão, temos um verdadeiro tanque de guerra em formato de música, claro que as influencias de Kreator, Destruction e Sodom são latentes, mas nada que tire o brilho do material, que soa abusivamente agressivo e empolgante.

Impossível não destacar os riffs de guitarra que esbanjam técnica e peso, além dos solos extremamente bem encaixados.

Destaco as poderosas “Disgrace Online” (riffs insanos e andamento destrutivo), “Dead By Razor” (bateria massacrante) e a trinca final com “Desolation” (apenas um dueto de violões belíssimos), “Kill The Tyrants” (despejando raiva em sua letra e com uma pancadaria do mais alto nível) e “Bem Vindo Ao Terror / My Name Is Rage (que encerra o álbum da mesma maneira que começou, agressivo, poderoso e instigante).

Há tempo de ressaltar a bela produção feita pelo lendário guitarrista do Megahertz Mike Soares e a parte gráfica criada por Leno Carvalho que ficou fantástica. Não perca tempo e conheça já o poder desses maranhenses.


Conheça mais a banda:


Assessoria: Ms Metal Press


Tracklist:
01 Disgrace Online
02 Dead By Razor
03 Race
04 Terror From The Seas
05 Corrosive Capitalism
06 Northeast (Misery And Faith)
07 Desolation
08 Kill The Tyrants
09 Bem Vindo Ao Terror / My Name Is Rage

Formação:
Valter Reis (Vocal/Baixo)
Juliano Sousa (Guitarra /Violão)
Felix Briano (Bateria /Percussão)

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More