20 de setembro de 2017

Resenha - Banda: Danzig - Álbum: Black Laden Crown (2017 - Shinigami Records/Nuclear Blast)

Resenha por: Renato Sanson


Confesso que parei de acompanhar a carreira do Danzig no álbum “4” de 1994, pois o que veio dali pra frente foram discos bem fracos e de uma estranheza sonora fora do que o Danzig era capaz de produzir.

Mas em 2017 o vocalista americano trouxe “Black Laden Crown” que não é um resgate a velha forma, mas que comparado aos lançamentos anteriores é certamente o melhor trabalho desde “4”.

O som é bem cru e simples, mas traz aqueles riffs característicos e sombrios de volta, assim como Danzig e sua voz soturna tradicional, que mesmo não estando na melhor forma continua marcante e instigante.

A produção soa bem orgânica e simples, que poderia ser melhor trabalhada, até porque os timbres soam bem old school, mas dão essa nova tônica a esse resgate do que foi perdido.

Aquele Heavy Metal “sabbathico” está mais presente, composições simples, mas inspiradas, que variam entre bons e maus momentos. No mais um bom trabalho que pode recolocar Danzig no caminho de lançamentos com maior qualidade.

Há tempo de mencionar a arte do trabalho estilo HQ que ficou muito legal, além de vir embalada em um bonito Digipack, mas sem nenhuma informação sobre as gravações e a formação que gravou o álbum, até porque neste trabalho muitos músicos participaram, e poderia constar um simples encarte com essas infos.


Links de acesso:


Formação:
Glenn Danzig – lead vocals, piano, rhythm guitar, bass, drums (2, 4, 7)
Tommy Victor – lead guitar, bass
Joey Castillo – drums (3, 8)
Johnny Kelly – drums (1, 5)
Dirk Verbeuren – drums (6)
Karl Rosqvist – drums (9)

Tracklist
01 Black Laden Crown
02 Eyes Ripping Fire
03 Devil On Hwy 9
04 Last Ride
05 The Witching Hour
06 But a Nightmare
07 Skulls & Daisies
08 Blackness Falls
09 Pull the Sun



10 de setembro de 2017

Resenha - Coletânea: Imperative Music XIII (2017)

Resenha por: Renato Sanson


Lançar uma coletânea em formato físico no Brasil já não é uma tarefa fácil, agora imagine isso em formato DVD com duas opções: onde você pode ouvir só o áudio ou assistir os videoclipes em questão.

E a Imperative Music conseguiu essa façanha na 13° edição de sua coletânea, trazendo 32 bandas dos mais variados estilos em um garimpo que durou em torno de seis meses e que chega em nossas um trabalho muito bem feito e diferenciado, pois nessa extensa gama sonora as músicas que constam na versão somente áudio aqui em muitos casos não são as mesmas que constam na opção vídeo, trazendo essa bela ideia que torna o material ainda mais atrativo.

O DVD abre com um dos grandes nomes do Metal Extremo mundial, o Venom, e a instigante “Long Haired Punks”, mas engana-se se os nomes menos conhecidos não se destacam como: os franceses do Sinlust e seu Black Metal atmosférico; o Teska e sua sonoridade mais moderna puxando para o lado dos americanos do Iced Earth; e os brasileiros do Tchandala e seu Heavy Tradicional de primeira.

A masterização da bolacha está bem esmerada e traz pouca diferença entre uma banda ou outra, mantendo um nível de equilíbrio sem descaracterizar os artistas. A parte gráfica é fantástica e soturna, que casa com o poder de fogo da compilação ao apertar o play, méritos para a Obscure Art.

Um material diferenciado e feito com muito capricho e profissionalismo. Mais uma vez, a Imperative Music nos trazendo um grande lançamento.


Links de acesso:

Tracklist:

Músicas:
1. VENOM (UK) - Long Haired Punks
2. BACK TO EDEN (Austrália) - Back to Eden
3. SINLUST (França) - Streams Attraction
4. EXIT (Suíça) - I Scream
5. MY OWN GHOST (Luxemburgo) - Life On Standby
6. TESKA (França) - Dark Side
7. FALL (EUA) - Cinis
8. ELYSIAN GATES (Luxemburgo) - Broken Inside
9. BONECO VOODOO (Brasil) - Eternal Night
10. HARDSTUFF (Brasil) - I Believe (live)
11. THE WILD CHILD (Itália) - Thank’s
12. QUINTA ESSENTIA (EUA) - The Stone as a Key
13. DESOLATION (Índia) - Spasmodic Coitus
14. VULCANO (Brasil) - Daughters of Pagan Rituals
15. CORE DIVIDER (Brasil) - Drown the Lies
16. DYING SUFFOCATION (Brasil) - Tears Falling
17. AMETHYST (Costa Rica) - The Timekeeper
18. ENCHANTRESS (Bélgica) - Mistress of Fire
19. KATHARSIIS (Brasil) - Up The Light
20. SEX PSYCH LOVE (Brasil) - The Ocean
21. SANCTA (Brasil) - Lost Place
22. HOT HELL ROOM (França) - No Perfect Flag
23. FRANCIS LIMA (Brasil) - Weird
24. TCHANDALA (Brazil) - Beyond the Power
25. SNOW I.U. (Suécia) - The Lone Wolf
26. CRUXVAE (EUA) - Dark Times Ahead
27. SOUTH HAMMER (Brasil) - Harley My Motorcycle
28. SxAxT (Japão) - Kill or Be Killed
29. MAVERICK (Brasil) - Upsidown
30. EREBOS (Japão) - Erebos
31. NUMBNESS (Brasil) - Urbanoids
32. SHADY GLIMPSE (Japão) - Zombie Spiral

Vídeos:
1. VENOM (UK) - Long Haired Punks
2. BACK TO EDEN (Austrália) - Temptation
3. SINLUST (França) - Red Priestess
4. EXIT (Suíça) - I Scream
5. MY OWN GHOST (Luxemburgo) - Crystal Ball
6. TESKA (França) - The Outcome
7. FALL (EUA) - Soul Ignition
8. ELYSIAN GATES (Luxemburgo) - Human Infection
9. BONECO VOODOO (Brasil) - Eternal Night
10. HARDSTUFF (Brasil) - I Believe (live)
11. THE WILD CHILD (Itália) - Thank’s
12. QUINTA ESSENTIA (EUA) - The Stone as a Key
13. DARK DESOLATION (Índia) - Spasmodic Coitus
14. VULCANO (Brasil) - The Devil Escaped from Earth
15. CORE DIVIDER (Brasil) - Drown the Lies
16. DYING SUFFOCATION (Brasil) - When I Die
17. AMETHYST (Costa Rica) - The Timekeeper
18. ENCHANTRESS (Bélgica) - Bend Over Backwards
19. KATHARSIIS (Brasil) - Up The Light
20. SEX PSYCH LOVE (Brasil) - Country Boy
21. SANCTA (Brasil) - Lost Place
22. HOT HELL ROOM (França) - Chameleon
23. FRANCIS LIMA (Brasil) - Weird
24. TCHANDALA (Brazil) - Beyond the Power
25. SNOW I.U. (Suécia) - The Lone Wolf
26. CRUXVAE (EUA) - Dark Times Ahead
27. SOUTH HAMMER (Brasil) - Harley My Motorcycle
28. SxAxT (Japão) - Sneak the Snake
29. MAVERICK (Brasil) - Upsidown
30. EREBOS (Japão) - Live at Shinsaibashi Paradigm 216/12/03
31. NUMBNESS (Brasil) - Urbanoids
32. SHADY GLIMPSE (Japão) - Suicidal Gamber



7 de setembro de 2017

Resenha - Banda: Axes Connection - Álbum: A Glimpse Of Illumination (2017)

Resenha por: Renato Sanson


O ano era 1990 quando o Axes Connection formava seu embrião na cidade de Porto Alegre, com os irmãos Vitor e Marcos Machado. Mas no mesmo ano Marcos foi convidado a integrar um dos grandes nomes do Thrash nacional da atualidade o Distraught, então o projeto com seu irmão continuou, mas de forma bastante informal.

Com sua saída do Distraught em 2013 (após 15 anos), Vitor e Marcos retomam o projeto Axes Connection, quando uma fatalidade assolou a vida de Marcos, a perda do irmão Vitor. E em forma de retribuir todo incentivo e apoio, Marcos decidiu seguir com o projeto em memória a Vitor Machado.

Sendo assim, Marcos contou com o auxílio do seu outro irmão Márcio Machado (vocais) e recrutou um belo time para gravação do Debut: Magoo Wise (ex-Apocalypse) e o baterista Cristiano Hulk (ex-Vômitos e Náuseas e Grosseria).

Eis que em março de 2017 nasce “A Glimpse Of Illumination”, trazendo um Heavy Metal contemporâneo pesado, trabalhado e com boas influencias do Classic Rock setentista.

Onde notamos tal influencia logo de cara nas linhas vocais de Márcio, com referências claras de Robert Plant e Cia. Tons agudos e variados, que casam com as guitarras bem construídas e melodiosas, riffs simples e fortes, com melodias bem trabalhadas.

A cozinha construída por Magoo e Hulk é coesa e dinâmica, e traz o equilíbrio necessário a proposta sonora, como podemos notar em “The Meaning Of Evil”, onde ambos dão um show à parte.

“Rearrange Yourself” vem mais agressiva com Márcio abusando dos agudos e variando para tons mais agressivos, com um riff aberto pesadíssimo, entrelaçando momentos mais 70’s com momentos mais atuais.

Em “Use The Reason” o Classic Rock fica de lado e mostram o lado mais moderno do grupo, trazendo muito peso e agressividade, remetendo aos britânicos do Judas Priest (fase Tim Owens); assim como em “The Gates” intrincada e com guturais que se entrelaçam as linhas vocais mais melodiosas, com um ótimo trabalho da guitarra de Marcos.

Já deu para perceber que a variedade impera no trabalho de estreia do Axes Connection, que teve uma boa produção a cargo de Felipe Haider usando timbres mais agudos e claros, sem esquecer do peso e equilíbrio, e tendo uma arte desenvolvida por Aldo Marcondes, que conseguiu trazer referencias do irmão Vitor como Marcos queria, em um belo trabalho.

Torço que o projeto continue e nos brindem com mais álbuns como “A Glimpse Of Illumination”.

Links:


Tracklist:
01 The Meaning Of Evil
02 Rearrange Yourself
03 Wisdom Is The Key
04 Use The Reason
05 Prepare Your Soul
06 The Gates
07 A Glimpse Of Illumination
08 Journey To Forever
09 Skyline
10 The True Connection

Formação:
Márcio (vocal)
Marcos (guitarra)
Magoo (baixo)
Hulk (bateria)


29 de agosto de 2017

Resenha - Banda: Hellish War - Álbum: Defender of Metal (2017 - Relançamento)

Resenha por: Renato Sanson


Comemorando quinze anos do lançamento de seu primeiro álbum, o Hellish War decidiu relança-lo para alegria dos fás, e “Defender of Metal” chega novamente ao mercado nacional e mostra para os que ainda não o conheciam a força do seu Heavy Metal Tradicional direto, rápido e agressivo.

Bebendo na fonte germânica do estilo temos guitarras agudas com riffs e solos marcantes, uma cozinha veloz e precisa e linhas vocais bem peculiares, que casam com a proposta seja nas partes mais melodiosas ou mais diretas.

As composições apresentam ótimas estruturas como se tivessem sido forjadas no fogo e aço tamanho a consistência, e mesmo passado tantos anos (“Defender...” foi lançado originalmente em 2001) temos o que chamamos de clássico em mãos, empolgante, vigoroso e que merece estar na estante de qualquer headbanger que se preze.

A produção soa simples, mas que combina perfeitamente com a ideia sonora, sem invencionices, pesado, agressivo e com ótimas melodias.

É muito bom poder ter acesso há um material como este nos dias de hoje, se você é um colecionador assíduo assim como eu e muitos bangers mundo a fora, não deixe de garantir a sua cópia, pois ficara em seu som por muitos dias!

Destaques: “Hellish War”, “We Are Living for the Metal”, “Gladiator”, Into the Valhalla”, “Memories of A Metal” e “The Law of the Blade”.


Links:

Formação:
Roger Hammer - Vocais
Vulcano - Guitarras
Daniel Job - Guitarras
Gustavo Gostautas - Baixo
Jayr Costa - Bateria

Tracklist:
1. Into the Battle
2. Hellish War
3. We Are Living for the Metal
4. Defender of Metal
5. The Sign
6. Gladiator
7. Into the Valhalla
8. Sacred Sword
9. Memories of a Metal
10. Feeling of Warriors
11. The Law of the Blade

28 de agosto de 2017

Resenha - Banda: The Night Flight Orchestra - Álbum: Amber Galactic (2017 - Shinigami Records/Nuclear Blast)

Resenha por: Renato Sanson


Ao se deparar com o novo álbum do The Night Flight Orchestra, “Amber Galactic” (3° da carreira), temos uma sensação de refrescância sonora, já que a genialidade dos músicos em questão (todos vindos do Death Metal Melódico, mais precisamente das bandas Soilwork e Arch Enemy) são latentes e vão na contramão com um som comercial, pomposo e com refrões que agradariam as grandes rádios.

A sonoridade transita entre o AOR e o Classic Rock, com melodias grudentas e estruturas de cair o queixo, pois tudo aqui soa homogêneo e bem trabalhado, já que desde a parte lírica ao instrumental sofisticado, temos uma dose de grandiosidade a cada nota apresentada.

A produção é de alto nível soando limpa e cristalina, mas com timbres mais “olds”, mas não datados, o que deu um ótimo equilíbrio. Citar destaques seria um sacrilégio, pois a cada audição é impossível pular alguma faixa e impossível não cantar cada refrão!

Realmente seria improvável pensar que músicos como: Björn “Speed” Strid, David Andersson e Sharlee D’Angelo fariam uma banda com uma sonoridade AOR setentista melodiosa e comercial, mas sim, eles fizeram e souberam fazer, ouça sem medo de se divertir!

Links:

Formação:
Björn “Speed” Strid - Vocais
David Andersson - Guitarras
Sebastian Forslund - Guitarras, percussão
Sharlee D’Angelo - Baixo
Richard Larsson - Teclados
Jonas Källsbäck – Bateria

Tracklist:
1. Midnight Flyer
2. Star of Rio
3. Gemini
4. Sad State of Affairs
5. Jennie
6. Domino
7. Josephine
8. Space Whisperer
9. Something Mysterious
10. Saturn in Velvet
11. Just Another Night (Bônus Track)

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More