30 de maio de 2016

Entrevista - Banda: Opera (Itália) - "[...]proprietários de pubs geralmente preferem investir em bandas cover e bandas de tributo"

Entrevista por: Renato Sanson
Tradução: Marcello Camargo

Read in ENGLISH



Heavy And Hell: O Opera surgiu em 2011, mas só em 2015 lançaram o primeiro disco, “La Ruota Del Destino”. O que se deve essa demora?

Deborah: Durante os nossos primeiros anos estávamos com muito azar... Nós não fomos capazes de manter uma programação estável e encontrar os músicos certos. Esse problema nos atrapalhou muito. O núcleo original consistia em mim e Nicko. Nós nunca desistimos apesar da adversidade e, finalmente, encontramos as duas peças que faltavam em Michele e Marco. Esta é a principal razão para este atraso incomum, mas, no final, durante estes anos nós deixamos as canções crescerem e evoluírem sem qualquer pressa. Agora a nossa música está realmente pronta para ser lançada!

HAH: Deborah, você é uma das principais compositoras do Debut, quais temas lhe inspiram para criação lírica das músicas?

Deborah: Minhas letras sempre começam com experiências da vida real, como as emoções e sentimentos que vivi na minha pele. “La Ruota Del Destino” não é um álbum conceitual tradicional, mas mesmo assim tem uma linha fina que liga todas as músicas: destino. Alguns anos atrás eu arrisquei a minha vida em um terrível acidente de carro e desde então tenho desenvolvido uma visão particular e pessoal de destino, que brilha através de todas as faixas do nosso primeiro álbum.


HAH: A sonoridade de “La Ruota Del Destino” transita entre o Alternativo e Progressivo, quais são as principais influências do Opera?

Marco: Nós temos um monte de diferentes influências musicais. Apesar de ser um ouvinte em 360 graus de qualquer tipo de música, eu definitivamente empurro as nuances de Metal no som da banda. Com a experiência de estudos de harmonia, Michele tem, sem dúvida desenvolvido o lado progressivo do nosso projeto, desenhando as estruturas musicais complexas de nossas músicas. Deborah cresceu com um background musical completamente diferente: ela ouvia musicais e música pop italiana. Você pode ouvir essas influências nas melodias vocais encantadoras que ela canta com sua voz. Como você pode facilmente imaginar, Nicko é um grande fã do Iron Maiden e deles tirou a força e a solidez das soluções rítmicas. Somos de fato uma mistura única de gêneros!

HAH: Em algum momento já compararam vocês ao trabalho solo da vocalista Anneke ou até mesmo a banda The Gathering? Pergunto, pois vejo claras referencias no som de vocês, não como cópia, mas sim como ótima influencia.

Marco: Alguém já nos disse sobre esta possível referência, mas para ser honesto todo o tipo de vínculo com Anneke e suas obras é totalmente acidental. Como já disse, Deborah não ouve muito Metal. Nicko e Michele não estão muito familiarizados com The Gathering também. Eu sou o único que conhece a discografia completa de Anneke: Eu amo a voz dela no The Gathering, eu amo suas colaborações com Devin Townsend e eu a amo seus álbuns solos. Mesmo se eu estou realmente orgulhoso desta comparação que tenho a dizer-lhe que não há nada mais do que isso.


HAH: A Itália tem uma grande tradição no meio Rock/Heavy Metal, sempre exportando excelentes bandas para o mundo. Como anda o cenário italiano atualmente? E em termos de underground em seu país, há mais união ou desunião?

Mic: A cena italiana é muito difícil de entender. No nosso país, temos uma importante tradição Metal, temos um monte de grandes bandas que tocam todas as formas de Metal. Deste ponto de vista a cena é definitivamente viva! O maior problema na Itália é encontrar lugares onde tocar ao vivo: proprietários de pubs geralmente preferem investir em bandas cover e bandas de tributo, deixando poucas oportunidades para bandas que tocam a sua própria música original. Nós realmente esperamos que esta situação mude o mais rápido possível... É apenas uma questão de coragem!

HAH: Como está sendo a recepção de “La Ruota Del Destino” perante a imprensa? E como é para vocês lerem resenhas de seu material vindas de outros países?

Mic: Nosso álbum de estreia está tendo críticas muito positivas, tanto na Itália como no exterior. Estas críticas positivas nos fazem muito felizes; a nossa música é muito pouco convencional e, muitas vezes temem que a estranha mistura de melodias limpas italianas e Groove Metal possa parecer muito estranha para um ouvinte médio. Felizmente, este não é o caso, por isso estamos muito orgulhosos destes resultados!


HAH: Sobre os shows, como anda a agenda do Opera?

Nicko: Estamos planejando nossos próximos shows ao vivo. Vamos fazer alguns shows em junho, já temos alguns shows programados para setembro. Esta é uma situação sempre em evolução. Como dissemos antes, tocar ao vivo na Itália não é tão fácil, mas estamos fazendo nosso melhor para trazer a nossa força e nossa energia no maior número de etapas possível.

HAH: Já estão pensando no sucessor de “La Ruota Del Destino” ou ainda é muito cedo?



Nicko: Quando começamos a gravar “La Ruota Del Destino” tivemos quase vinte músicas prontas. Foram selecionadas apenas nove dessas músicas para concentrar nossas mentes em um objetivo concreto, que poderia ser alcançado com perfeito equilíbrio e detalhes. Para ser honesto, poderia até mesmo começar a gravar um novo álbum hoje! Nós nunca paramos de criar novas músicas, estamos sempre trabalhando em novo material. Gravar um novo álbum não é, obviamente, o que estamos focados agora; hoje em dia o nosso primeiro objetivo é promover o “La Ruota Del Destino”, o nosso objetivo é fazer com que a nossa música chegue a tantas pessoas quanto possível. Mas se você chegar a um de nossos shows ao vivo você provavelmente vai ouvir algumas músicas novas...

HAH: Para quem ainda não conhece o som de vocês, como descreveriam aos leitores sua música?

Deborah: Nossa música é uma mistura pouco convencional da música italiana pop, Metal, progressivo e Hard Rock. É uma mistura de diferentes sons e emoções imprevisíveis. É uma visão moderna do Rock, construída sobre o forte impacto de estruturas musicais pesadas misturadas com a poesia melódica da voz feminina limpa.


HAH: Para finalizar, gostaria de agradecer pelo tempo cedido e deixo a vocês o espaço final para uma mensagem aos leitores do Heavy And Hell.

Nicko: Muito obrigado pela entrevista e muito obrigado a seus leitores pelo interesse em nosso projeto! Nós realmente esperamos que nossa música atinja um público cada vez maior. Nesta fase de nossa jornada, o que realmente precisamos é compartilhar nossa música com o mundo e você está definitivamente nos ajudando a alcançar o nosso objetivo. Saudações a todos vocês!


Opera é: 
Deborah (Vocal)
Nicko McBicci (Bateria)
Mic (Baixo)
Marco Ruggeri (Guitarra)

Leia a resenha de “La Ruota Del Destino” no link a seguir:

http://heavyandhellsc.blogspot.com.br/2016/04/resenha-banda-opera-album-la-ruota-del.html

0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More