4 de fevereiro de 2017

Entrevista - Banda - Animal House: "É justamente por não se discutir política que estamos atolados na merda."

Entrevista por: Renato Sanson


Se manter ativo no underground brasileiro nunca foi uma tarefa fácil. Ainda mais quando se trabalha em grupo, onde os conflitos de ideias surgem e trazem certas rusgas que em muitas vezes são desnecessárias. Não seria diferente com a banda paranaense Animal House, que após lançar seu Debut First Blood (2012) que trouxe toda sua sonoridade experimental e fora dos padrões à tona, foi com o EP Limbo (2015) que os paranaenses solidificaram sua musicalidade. Porém uma maré de problemas pareceu rondar a banda após este ótimo momento, e o vocalista (e único remanescente) Mutle¥ Animal comenta estes pesares: 

Infelizmente a história se repete. Falta de profissionalismo parece ser um fantasma da Animal House. Os mesmos músicos saíram novamente pelos mesmo problemas que das vezes anteriores. Eu sei bem que sou uma pessoa difícil de trabalhar, mas isso é reflexo da paixão e da importância que a música tem na minha vida. Corpo mole não tem vez, quando o bicho pega, os covardes abandonam o barco. Sempre foi assim e sempre será. Em todas as áreas. Eu sigo em frente. Sempre focado e correndo atrás dos objetivos. 


Com esses reflexos negativos e com a banda dando um tempo, Mutle¥ decidiu sair do país (se mudando para a Argentina), mas não pensa em sessar as atividades da Animal House. 

Já estou fora do Brasil há alguns meses. E o plano era lançar ao menos duas músicas inéditas antes de ter saído. Mas a falta de compromisso e profissionalismo das pessoas com quem me envolvi na música arruinaram esse plano. Todos estamos sujeitos a coisas que acontecem alheios à nossa vontade. Mas saliento existe com certeza TODA a possibilidade de a Animal House retomar as atividades daqui algum tempo. A banda só vai parar quando eu decidir que pare. E não é hora ainda. Mas pelo presente momento, estou focado na minha carreira. Para quem não sabe, sou Chef de cozinha, e estou aproveitando muito esse momento fora do país para crescer como profissional. Em realidade, estou no melhor momento da minha carreira, e por agora, minhas energias estão focadas nisso. Mas sim, a Animal House VAI voltar. Sempre voltamos. A "cena" PRESCISA de bandas como a Animal House. 


Os reflexos políticos também foram uma das coisas que pesaram para Mutle¥ deixar o Brasil, e salienta o quanto é importante discutirmos nossa situação política atual: 

Todo mundo tem a mania de dizer que política não se discute. É justamente por não se discutir política que estamos atolados na merda. Política interfere diretamente nas nossas vidas, mais do que a tal da "cena" ou essas estúpidas brigas de ego entre bandas. Claro que existe separação da sua vida pessoal e das suas opiniões políticas, mas fica difícil não separar quando você vê alguém defendendo o governo mais corrupto da história do mundo, como os brasilienses do Violator fazem por exemplo. 


E ressalta o quanto nosso governo atual o prejudicou assim como milhares de brasileiros: 

Eu estou entre os 11 milhões que perderam seus empregos por conta direta da hoje ex-presidente Dilma. Fora que, o governo brasileiro por anos financiou governos assassinos e autoritários como Venezuela, Cuba, Congo... 

E também comenta sobre alguns artistas que de certa forma apoiaram/apoiam o governo brasileiro anterior: 

Uma coisa é você fazer músicas sobre violência, monstros, mortes canibalismo (o que diga-se de passagem, já encheu o saco, por isso não escrevo músicas com essas temáticas, o metal precisa de uma renovação intelectual artística), outra coisa é você subir num palco e enaltecer governos que fazem isso na vida real. Bandas como Violator, Rage Against The Machine, o tal do Tico Sta Cruz e outras, perderam a noção de realidade e ficção. 


Voltando ao reflexo underground Mutle¥ nos fala sua visão sobre nosso cenário que em termos de público, shows e produtores anda bem enfraquecido. 

Eu já disse isso outras vezes, TODOS tem sua parcela de culpa. Produtores picaretas, bandas medíocres e repetitivas, público prostituído com gosto engessado e uma mídia mercenária que não entende nada daquilo que se propôs a fazer. A Animal House nunca recebeu o prestígio merecido, e isso se deve ao fato de que eu nunca aceitei lamber as botas de ninguém. De nenhum produtor, de nenhuma banda "maior", de nenhuma mídia ou fazer música na medida que o público quer. Justamente por isso que digo que a cena precisa de bandas como a Animal House. Bandas autênticas e honestas consigo mesmas. Que fogem de clichês. E salienta: Pena que, como disse antes, a tal da "mídia especializada" entende tanto da parte técnica de música quanto uma formiga entende de construir uma nave espacial. E estando fora do Brasil há alguns meses, tendo que batalhar como nunca antes na vida, sendo um estrangeiro em uma terra onde não conheço nada nem ninguém, me deu uma nova visão sobre tudo isso. E percebi, agora olhando de fora, como são fúteis e infantis essas briguinhas de ego entre bandas, público e mídias.


Acesse e conheça mais a banda:


Twitter - @animal_house1



Baixe o Debut "First Blood": http://bit.ly/XNQ7sw




0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More