31 de julho de 2017

Resenha - Banda: The Charm The Fury - Álbum: The Sick, Dumb & Happy (2017 - Shinigami Records/Nuclear Blast)

Resenha por: Renato Sanson


Um soco na cara do conservadorismo musical! Assim defino o som poderoso dos holandeses do The Charm The Fury em seu segundo disco, “The Sick, Dumb & Happy”.

Uma destruição sonora sem barreiras, Metal moderno muito bem feito e extremamente agressivo e visceral. As influências de Metalcore e New Metal são perceptíveis, mas nada que tire o brilho sonoro da banda, que traz vocais urrados e horas limpos (graças à boa alternância e potência da vocalista Caroline Westendorp), guitarras esmurradas e cheias de feeling, com uma base rítmica invejável e pesada, tudo aliado a modernidade, não se pretendo a rótulos e mostrando que é possível fazer um som de qualidade atual sem precisar recorrer ao “truezismo” imposto por alguns ditos “headbangers”.

A produção sonora é extremamente limpa e polida, mas pesada e na cara com os timbres saltando nos alto-falantes. Já em termos gráficos a arte impressiona, pois é nada convencional, mas muito atrativa e interessante, até porque quando me deparei com tal arte não imaginava o poderio sonoro que estava ao dar o play, muito bem sacado.

Breakdowns, grooves, melodias, peso e muita agressividade, é isso que você encontrará neste trabalho que rompe barreiras e traz uma sonoridade viciante. Deixe as amarras de lado e perca o pescoço!

Links de acesso:

Tracklist:
1. Down on the Ropes
2. Echoes
3. Weaponized
4. No End in Sight
5. Blood and Salt
6. Corner Office Maniacs
7. The Future Needs Us Not
8. Silent War
9. The Hell in Me
10. Songs of Obscenity
11. Break and Dominate

Caroline Westendorp - Vocals
Rolf Perdok - Guitarra solo
Martijn Slegtenhorst - Guitarra base
Lucas Arnoldussen - Baixo
Mathijs Tieken - Bateria



0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More